Os perigos de dirigir alcoolizado

Postado em: Direção segura Gestão de Motorista Prevenção de acidentes

O dia 18 de fevereiro representa o combate ao alcoolismo e nós não poderíamos ficar de fora da campanha! Preparamos um infográfico especial para você fazer o download gratuito e conscientizar seus motoristas a não dirigirem alcoolizados.

Em diversos de nossos materiais abordamos como temática o comportamento dos motoristas, pois ele impacta diretamente na economia e, principalmente, na segurança de suas operações.

Neste artigo apresentaremos uma das principais condições que reduz a capacidade dos motoristas e causa acidentes de trânsito: dirigir alcoolizado.

Apresentaremos de forma mais aprofundada como este comportamento indevido afeta negativamente as operações de transporte e quais são as soluções para inibi-lo e garantir a segurança de seus motoristas.

Os perigos de dirigir alcoolizado

O uso do álcool é um dos maiores fatores de risco para a mortalidade e incapacidade de condutores, estando relacionado a cerca de 3,3 milhões de mortes a cada ano, em todo o mundo.

Então não podemos deixar de esclarecer que qualquer quantidade de álcool ingerida, por mínima que seja, diminui os reflexos dos motoristas afetando diretamente suas condições de dirigir.

Em apenas alguns minutos após o consumo, a substância já chega aos principais órgãos vitais do corpo, atuando na comunicação entre os neurônios e diminuindo a resposta do cérebro ao organismo.

keep on movingPowered by Rock Convert

As principais áreas afetadas com o consumo da bebida alcoólica são o córtex frontal que é responsável pela coordenação motora, e o cerebelo, responsável pela leitura espacial e equilíbrio. Fica claro que o condutor ao beber perde habilidades essenciais para conduzir um veículo.

Nas primeiras doses, o álcool atua como estimulante, mas como é um depressor do sistema nervoso central, as inibições e a capacidade de julgamento são rapidamente afetadas, prejudicando o processo de tomada de decisão, as habilidades motoras e o tempo de reação também sofrem consequências negativas. A ingestão de altas doses de álcool ainda pode causar sonolência ou até mesmo desmaios ao volante.

Um estudo publicado na revista científica Addiction, descobriu que os motoristas que beberam, comparado aos motoristas sóbrios, estavam mais propensos a dirigir em alta velocidade, não usar cinto de segurança e conduzir o veículo perigosamente.

Os dados também mostraram que quanto maior a concentração de álcool no sangue, maior a velocidade média e a gravidade dos ferimentos causados pelo acidente.

Alguns condutores acreditam que tomar um copo de café podem torná-los aptos a dirigir com segurança. Porém, o álcool continua a afetar o cérebro, prejudicando a coordenação e a capacidade de julgamento até mesmo horas depois da ingestão da última dose.

Não existe maneira de acelerar a recuperação do cérebro e tomar boas decisões ao volante após a embriaguez. Aqui enfatizamos: bebida e direção formam uma combinação perigosa e fatal, para qualquer quantidade de álcool consumida. Consciência na direção é fundamental.