Como os custos dos acidentes de trânsito estão te afetando diretamente

Postado em: Direção segura Gestão de Motorista Prevenção de acidentes

Os acidentes de trânsito estão entre as principais causas de morte no mundo, além de serem apontados como um grande problema de saúde pública, podendo deixar sequelas graves com implicações físicas e psicossociais nos envolvidos. No Brasil, os acidentes de trânsito apresentam custos sociais, ambientais, psicológicos e uma alta demanda de leitos hospitalares, além das faltas relacionadas ao trabalho, às indenizações e aos gastos materiais que geram.

No prazo de um ano, só nas rodovias federais brasileiras, ocorreram 170 mil acidentes de trânsito que geraram um custo de R$ 12,3 bilhões. Sendo 64,7% destes custos associados às vítimas dos acidentes, com atendimentos em hospitais e perda de produção devido às lesões ou morte, e 34,7% eram relacionados aos veículos, com danos materiais, perda de cargas e procedimento de remoção dos mesmos. Quando se levantou os números nas rodovias federais, estaduais e municipais, estimou-se um custo com acidentes de trânsito maior que R$ 45 bilhões por ano.

O Observatório Nacional de Segurança Viária fez um comparativo demonstrando como a violência no trânsito tem “sequestrado” recursos que poderiam ser investidos em outras áreas do país. Segundo eles, com os custos derivados dos acidentes de trânsito, poderíamos construir 28 mil escolas a um custo de R$ 2 milhões cada unidade, assim cada Estado poderia receber 1037 escolas. Ou seria possível construir 1800 novos hospitais custando R$ 30 milhões cada, sendo 66 hospitais novos para cada Estado, incluindo o Distrito Federal. São números muito expressivos para continuarmos passivos, não acha?

 

Precisamos ressaltar também que as consequências negativas dos acidentes de trânsito não abrangem somente custos materiais, vão além, envolvendo o psíquico e o social, que muitas vezes não são percebidos de imediato, mas sim após acompanhamentos e observações das vítimas. Como dito, existem problemas que não são discerníveis à primeira vista: o que pode ocorrer com uma criança que perde seus pais em um acidente de trânsito? Qual o custo social de um homem que ficou deficiente, fato que irá afetar seu ajustamento familiar, social e profissional? São várias as questões que podemos pontuar.

Uma pesquisa mostrou que após 18 meses de acompanhamento de pacientes acidentados, quase 30% apresentavam desordens psiquiátricas. Observaram que foi muito comum a incapacidade de superar essa vivência de violência no trânsito, quase um quinto das pessoas acabaram sofrendo de síndrome de estresse aguda, caracterizada por distúrbios de humor e fortes lembranças do acidente. Compreende-se aqui que as consequências psicológicas dos acidentes de trânsito são problemas de grande relevância, com graves implicações sociais, econômicas e nos serviços de saúde.

Destacamos também que não é exclusivamente o vitimado quem sofre com os danos. Suas famílias também podem necessitar de uma intervenção psicológica como suporte social para aprenderem a lidar com a situação. Isto reafirma que os acidentes de trânsito não acarretam apenas feridas no corpo, mas geram consequências que podem destruir planos, inviabilizar projetos, desestruturar famílias e acabar com vidas.

Os acidentes de trânsito geram um número muito alto de vítimas a todo o momento, eles representam um significativo peso econômico e social arcado por toda sociedade. É preciso que todos se conscientizem sobre a responsabilidade de cada um no trânsito, já que a maioria dos acidentes acontecem pela imprudência dos motoristas, cerca de 90% por falha humana. A redução do número de acidentes e mortes decorrentes do mesmo só irá acontecer quando houver maior conscientização, mudanças de cultura e consequentemente de comportamentos por meio da educação.

Frisamos aqui, que dentro da missão por um trânsito mais seguro, os gestores de frota possuem um papel essencial, pois são responsáveis por um imenso número de motoristas que trafegam todos os dias pelas rodovias do país. Eles têm grande responsabilidade, já que atuam sobre o comportamento de seus condutores, influenciando diretamente na segurança do trânsito. É preciso que os gestores capacitem e conscientizem seus motoristas sobre como a direção segura pode fazer toda a diferença entre a vida e a morte, e todas as sequelas que um acidente de trânsito pode causar.

Neste ponto a tecnologia é uma grande aliada para tornar o trabalho do gestor de frotas mais assertivo e simples. Pois possibilita identificar com facilidade aqueles condutores que possuem comportamentos de riscos na direção e que precisam de treinamentos. Ainda permite a instalação de displays nos painéis dos veículos que alertam os motoristas no momento em que as infrações e comportamentos inseguros ocorrem, trabalhando constantemente a educação e conscientização.

Neste artigo ressaltamos o papel essencial do gestor de frotas na luta por mais segurança no trânsito graças ao grande número de motoristas sob seu cuidado. Mas não podemos esquecer da grande responsabilidade que envolve cada um de nós, sejamos pedestres, motoristas, ciclistas ou motociclistas. Que todos possamos ser a diferença por um trânsito mais seguro!

Soluções Relacionadas

Prevenção de acidentes no trânsito
Prevenção de acidentes

Indicadores e perfil de condução dos motoristas com maior risco de acidentes de trânsito.

Ver mais