analise-critica-de-indicadores

Você faz a análise crítica dos indicadores da sua operação?

Postado em: Gestão de Frotas Sensor de Fadiga Telemetria

Já sabemos que a informação – e a análise crítica feita sobre os indicadores – é a maior aliada quando se trata de gestão. Afinal, de acordo com Peter Ducker, o que mensuramos podemos melhorar. E na gestão de frotas isso não é diferente.

São as informações como o consumo dos veículos, a dirigibilidade e o comportamento do motorista ao volante, que irão orientar as ações de um gestor de frotas para atingir os objetivos operacionais, seja o objetivo a redução de acidentes, a redução de custos ou qualquer outro. Para isso, muito mais do que coletar dados, é necessário ter um olhar analítico e minucioso sobre eles.

Tecnologias como softwares para gestão, telemetria e o monitoramento em vídeo trouxeram às operações a possibilidade de acompanhar em tempo real a rotina da frota. Milhares de dados são coletados diariamente.

Mas, o que fazemos com todos esses dados? Quem acompanha de perto as informações que os sistemas fornecem? Essas informações são utilizadas em ações estratégicas? Ou elas ficam apenas armazenadas em um banco de dados, sem tratamento e aproveitamento? Não basta ter tecnologia de ponta se ela não está atrelada a ações efetivas.

A análise crítica dos indicadores fornecidos pelas tecnologias parte da necessidade de um melhor aproveitamento das ferramentas disponíveis, por se tratar de um investimento de recursos humanos e financeiros. Além disso, apenas com este tipo de acompanhamento é possível obter uma visão mais apurada da realidade da operação. 

Vamos a um exemplo da aplicação da análise crítica de indicadores em uma gestão de frotas:

Ao detectar – com auxílio de um sensor de fadiga embarcado -, que um motorista está apresentando sinais de sonolência com frequência em turnos durante a tarde, o gestor pode dar um feedback ao condutor, apenas baseado no número de eventos de fadiga. Afinal, a tecnologia está comprovando que o problema e o risco existem.  No entanto, isso não garante que no próximo turno, o comportamento irá mudar. O benefício da tecnologia se efetiva a partir da ação do gestor após tomar conhecimento do evento.

Realizar uma análise crítica é encontrar a raiz do problema. Por que o meu motorista vem apresentando tantos sinais de fadiga? Uma das alternativas é que este motorista pode estar apresentando sonolência porque o seu cronotipo ideal favorece trabalhos realizados no período noturno ao invés do período vespertino. E, tendo esta informação, o gestor pode agir de forma assertiva: ajustes no horário de trabalho deste motorista podem ajudá-lo a ter uma jornada mais produtiva e diminuir a possibilidade de causar ou se envolver em um acidente de trânsito.

3 principais pontos de uma análise crítica da operação

Confira algumas dicas para te ajudar a trabalhar as informações da sua frota de forma eficiente.

#01. Estruturação de processos

Para começar um processo de análise, é necessário ter um fluxo organizado para gestão das informações da frota, da mesma forma que deve existir um processo para o funcionamento da operação. Um bom ponto de partida, é a criação de checklists para auxiliar na análise crítica de indicadores de forma contínua e consistente.

#02. Gestão humanizada

Além de veículos, equipamentos e processos, a frota é composta por pessoas. Colaboradores, motoristas e gestores estão sujeitos a necessidades emocionais, físicas e psicológicas.

Compreender e trabalhar estes fatores é importante não só para o foco e a produtividade, mas também para a satisfação e motivação de um funcionário para entregar os melhores resultados e agir com comprometimento e segurança.

A sua prioridade na gestão de frotas deve sempre a segurança.

#03. Acompanhamento em tempo real

A supervisão constante da rotina e do comportamento do motorista pode ser crucial para a identificação de gaps a serem investigados e trabalhados. Se o acompanhamento em tempo real com um CCO ainda não for viável em sua operação, é necessário estabelecer uma rotina de análise periódica de indicadores e ocorrências.


Em uma gestão de frotas, além de profissionais qualificados, recursos materiais de qualidade e tecnologias avançadas, a análise e aplicação de aprendizados é crucial para o funcionamento de processos e desenvolvimento da equipe.

Para auxiliá-los ainda mais com a análise e, principalmente, a otimização de indicadores, preparamos um eBook especial! Clique no botão abaixo e baixe agora gratuitamente ↓

Atualizado por Caroline Ferroni em 02/06/2020.