Abastecimento – Por que não encher o tanque até a boca?

Postado em: Condução Econômica Gestão Logística

g3518

Usar o carro com o tanque de combustível na reserva pode danificar componentes do veículo,como a bomba elétrica. Mais você já parou para pensar na situação inversa? Dá para encher o tanque até a boca, passando do limite especificado do manual do veículo e da trava automática da bomba de combustível do posto de gasolina?

Ao chegar ao posto, pedimos ao frentista para encher o tanque, e ele abastece até o momento em que a bomba de combustível do posto trava. Mas e se ele continuar a forçar o abastecimento, muitas vezes para arredondar o valor? O que pode acontecer?

Bom, isso pode danificar o cânister. Quem?… Isso mesmo, o cânister. É a peça que fica instalada entre o tanque de combustível e a admissão do motor, e tem objetivo de filtrar vapores, para reduzir os gases prejudiciais que são emitidos pelo veículo.

Se o combustível ultrapassar o limite indicado no manual, poderá inundar o cânister. Com o cânister inundado, além dessa importante filtragem não acontecer, o combustível pode fazer com que os carvões desse componente se desprendam, danificando outros itens mecânicos.

Então é simples: não peça para o frentista continuar enchendo o tanque de combustível depois do travamento da bomba.


O manual do proprietário informa a capacidade máxima em que o tanque de combustível pode ser abastecido. Geralmente esse limite é pelo menos 10% inferior a real capacidade máxima do tanque. 

FONTE: www.clubedasoficinas.com.br